Quem escolheu meu namorado(a)? Deus ou Eu?

14-03-2011 12:40

 

 

1.Um pensamento que alicia jovens na maioria das igrejas hoje em dia, está relacionado com o namoro: Deus, ou eu mesmo devo escolher meu namorado(a)? Essa pergunta inquieta a maioria dos jovens cristãos, e serve também de força de manobra em muitos ministérios de jovens. Mas qual é a resposta? Que meios ou critérios devemos usar para escolher um namorado(a)? Será que o fulano(a) é a pessoa que Deus escolheu? Ou eu que escolho? Gostam de alguém, mas temem que essa pessoa não faça parte dos planos de Deus para a sua vida.

2. Qual a razão pela qual escolhi estar com esta pessoa?
Existem muitos fatores que podemos colocar aqui. Beleza, Intelecto, Carisma, etc. Mas a mais pontual, a mais importante virtude de uma escolha estão nos valores. Que tipo de valores essa pessoa que você escolheu carrega? Como ela se relaciona com seus pais? Com seus familiares? Como ela respeita você? Veja bem que eu não estou falando de religião, mas de valores morais. O uso do bom senso na hora da escolha, é necessário, pois uma pessoa pode ser bonita, elegante, boa de conversa e um(a) crápula na relação!.

3. E como meu namoro se relaciona com minha vida espiritual?

Se você é um cristão, é necessário saber que o namoro deve fazer a sua vida espiritual crescer e desenvolver, não diminuir. 

Agora gostaria de dizer algo muito importante à todos os cristãos. DEUS NÃO ESCOLHE POR VOCÊ, ELE ESCOLHE COM VOCÊ.

4.Namoro não é um espaço de vida para aprender a beijar, a transar e afirmar sua beleza.
Isso mesmo, o cristão encara o namoro como a ante sala da felicidade (casamento).  E felicidade é coisa séria! Namoro para nós não é uma aventura infantil como o mundo vê.

5.Diferenças religiosas são as mais difíceis de serem resolvidas entre um casal de namorados.
É muito complicado quando um cristão namoro com alguém que não seja. Geralmente são muitos os conflitos gerados no relacionamento, pelo simples fato de que os valores são outros.



6.O seu namoro deve glorificar a Deus.
Paulo diz aos Coríntios: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (1Co 13:31). Tudo que fazemos, devemos carregar o princípio do louvor e da exaltação de Deus. Se o namoro exalta a Deus, fique em paz com ele.